Focaccia low carb

Acho que conheci focaccia nessas padarias mais chiques que vendem vários tipos de pães. Depois começou a aparecer nos restaurantes italianos aqui da minha cidade, mas nunca tinha parado para pensar exatamente no que é e como se faz.

Focaccia é um pão de origem italiana, achatada e macia, em geral coberta com sal grosso, azeite e alecrim. Na Itália, é consumida tanto no desjejum, como aperitivo ou antepasto. Wikipédia

Um dia vi no instagram da Lilian Sá ela fazendo uma focaccia low carb e achei tão simples que resolvi testar. Fiz bem simples mesmo e gostei do resultado.

Como eu não sou de fazer receitinhas com frequência acabei esquecendo da dita cuja, mas essa semana aproveitei que ganhei um monte de castanhas de caju e resolvi fazer uma versão incrementada. 😉

A receita da massa é a mesma do pão low carb. Não tem erro.

Ingredientes:

Focaccia básica

  • 4 ovos
  • 50g de parmesão ralado (para uma versão lácteos-free troque por ervas finas ou outro tempero de sua preferência)
  • 100 ml de leite de coco
  • 200g de farinha de castanha de caju (pode misturar ou trocar por de outra oleaginosa)
  • 1 colher de sopa de fermento químico em pó
  • Páprica doce e picante (opcional)
  • Alecrim
  • Sal grosso

 

Focaccia incrementada

    • 150g bacon crocante (preferencialmente artesanal)
    • 8 tomates uva cortados

 

Modo de fazer:

– Bata os ovos, queijo e leite de coco no liquidificador. Acrescente a de farinha de castanha de caju até ficar bem grosso e então adicione a páprica e o fermento. Despeje em uma forma grande de modo que a massa não fique com mais de um dedo de altura.

– Salpique o alecrim e o sal grosso a gosto.

– Caso esteja incrementando a focaccia, distribua o bacon e o tomate uniformemente.

– Deixa assar por 30 a 40 minutos e pronto. 😀

Eu usei uma forma de 26 cm x 17 cm, mas deveria ter sido uma maior. A cobertura é só uma sugestão, faça com os ingredientes que mais gosta. Varie, invente! 😉

 

Engenheira química que através do estilo paleo/low-carb encontrou a paz depois de anos na guerra com a balança. Adora ler e estudar o assunto e é fã incondicional do Dr. Souto.