Alimentos Gatilhos

Você sabe o que são os alimentos gatilho ou trigger foods?

Todos aqueles que você não consegue comer apenas uma pequena porção. Cada pessoa tem um ponto fraco, seja por doces como: biscoito, brigadeiro, sorvete, ou salgados como: snacks, batata frita, chips e etc.

Existe uma enorme variedade, podem ser até mesmo alimentos incomuns. É como se perdêssemos o controle enquanto estamos comendo, e quando percebemos foi uma quantidade irracional, da qual as vezes nem é possível mensurar.

Os alimentos “gatilho” quando detectados, geram uma sensação de quero comer, mas sei que não posso.

Esses alimentos também podem ser frequentemente alterados, principalmente após o início da reeducação alimentar. Algumas pessoas podem passar a descontar sua ansiedade em castanhas, frutas, chicletes, iogurtes, chocolate amargo, ou no meu caso: pasta de amendoim. Cada indivíduo tem ao menos um alimento em sua vida que desperta essa falta de controle quando consumido. É um impulso muitas vezes inconsciente, e a comida passa a ter o controle total da situação.

E por que isso acontece? Primeiramente a sensação de que determinado alimento é proibido, ou precisa ser controlado desperta uma necessidade de querer mais. Provavelmente se você pudesse comer 50 castanhas por dia, todos os dias, certamente ficaria em algum momento saturado. Mas por gostar desse alimento e saber que você não pode comer até ficar satisfeito, mas sim uma pequena quantidade controlada (que na maioria das vezes não mata nem a fome fisiológica), gera um instinto natural de querer devorar o máximo que puder.

Por isso é normal que no início de qualquer reeducação alimentar, o indivíduo queira comer o dobro do que comia. Isso ocorre pelo mesmo fator, o fato de que você não poderá mais comer coxinha, ou tomar refrigerante, faz o desejo triplicar.

Como lidar com isso? O menos prejudicial seria manter-se longe dele o máximo que puder, até que a sua vontade desenfreada passe.  Caso não seja possível, a única opção que te restará será: permitir-se. Sim, quanto mais você tentar brigar com a sua mente para bloquear aquele alimento, mais sentirá desejo por ele.

O ideal nesses episódios, é ingerir de maneira consciente uma pequena porção. Isso amenizará a sensação de impotência, proporcionando melhor controle alimentar. Uma outra saída, seria consumir os alimentos gatilhos até saciar-se em suas refeições livres.

O mais importante sempre será encontrarmos um equilíbrio entre a vida saudável e a tranquilidade da mente.

 

Referência bibliográfica:

Bernardi, F.; Cichelero, C., Vitolo, M. R. (2005). Comportamento de restrição alimentar e obesidade / Restrained eating behavior and obesity

 

Psicóloga, trabalho com acompanhamento psicológico para o emagrecimento e escrevo textos sobre a relação entre mente e alimentação.